quinta-feira, 3 de junho de 2010


A revolta

Depois de uma fase de sensibilidade
Depois de chorar
Depois de perder
Chega a hora de ganhar
Vou fazer da dor o meu brinquedo favorito
Vou fazer da raça que me castigou um brinquedo
Terei na mão, entre os dedos
Como uma moeda testando sua gravidade
Vou viver com minha vida em riscos
Minha alma na ponta de uma faca
Os riscos são grandes, mais os sucessos são perfeitos
Vou dizer que a vida é uma loucura
Vou dar conselhos para as pessoas viverem a vida loucamente
Vou contaminá-las com minha revolta
Depois volto pra mim
Não olho pra traz
Continuo de onde parei
Tristeza nunca mais
Enquanto isso o veneno da minha revolta circula entre os novos loucos
E assim a vida continua
Todos doentes de si mesmo
Agindo por impulso
Não adianta cobri o mal com ele mesmo
O mal é um ciclo que só acaba quando as atitudes mudam pro bem ou pro perdão
Roberto Pereira Jr
 Amei !!!

"Quem sou eu:


"Quem sou eu ? !
Sei que não nos conhecemos...
mas eu não quero ser uma formiga, entende? 
Passamos pela vida esbarrando unhhhhs nos outros... 
sempre no piloto automático, 
como formigas, 
não sendo solicitados a fazer nadano.
Pare.
Siga.
Ande aqui. 
Dirija ali. 
Ações voltadas basicamente à sobrevivência.
Toda comunicação servindo apenas para manter ativa a colônia de formigas, 
de um modo eficiente e civilizado. 
"O seu troco." "Papel ou plástico?" 
"Crédito ou débito?" 
"Aceita ketchup?" 
Eu não quero um canudo. 
Eu quero momentos humanos verdadeiros.
Eu quero ver você. 
Eu quero que você me veja. 
Eu não quero abrir mão disso. 
Não quero ser uma formiga, entende?"
(do filme "Waking Life")

Consciência ? !



  Bom senso, tão raro...
Está compreendido entre a sensibilidade e a compreensão.
Limita até mesmos nossos desejos, 
sacrifica até mesmos as oportunidades...
Só para satisfazer a consciência

Sabe ? !

Sabe o que eu quero de verdade?! Jamais perder a sensibilidade, mesmo que às vezes ela arranhe um pouco a alma. Porque sem ela não poderia sentir a mim mesma...